Dia: julho 12, 2017

[Modelo] Ação de divórcio NOVO CPC. artigo 40 da Lei 6.515/77

[Modelo] Ação de divórcio

Fundamento legal: artigo 40 da Lei 6.515/77 c/c no § 6º, do artigo 226, da CRFB,

 Imagem relacionada

PUBLICADO  por Jorge Henrique Sousa Frota

EXCELENTÍSSIMO JUÍZO DE DIREITO DO FORO DA COMARCA DE ________/UF, A QUEM O FEITO COUBER POR LIVRE DISTRIBUIÇÃO.

 

_________, (Nome, prenome, estado civil, profissão, CPF OU CNPJ, e-mail, endereço – cf. art. 319, II do CPC/2015), vem com lhaneza e acatamento perante a ilustre presença de sua Excelência, para propor a presente

AÇÃO DE DIVÓRCIO, nos termos do artigo 40 da Lei 6.515/77 c/c no § 6º, do artigo 226, da CRFB,

Contra _____, (Nome, prenome, estado civil, profissão, CPF OU CNPJ, e-mail, endereço – cf. art. 319, II do CPC/2015), residente e domiciliado em lugar incerto e não sabido, por mais de 10 (dez) anos, fazendo para tanto, face aos seguintes fatos e fundamentos assim alinhavados:

DOS PROLEGÔMENOS

A Requerentes contraiu núpcias com o Requerido, conforme demonstra certidão de casamento em anexo, sob o regime de Comunhão Parcial de Bens, conforme atesta a inclusa certidão de casamento.

Do enlace resultou o nascimento dos menores: _____, nascido em _____ e; _____, nascida em _____, conforme certidões de nascimento em anexo.

Por motivos pessoais, constante na vida do casal, que aqui não cabe a relatar, o Requerido saiu de casa e nunca mais voltou. Isso, a mais de 10 (dez) anos, motivo este que se pede o divórcio.

Diante destas circunstâncias fáticas acima apresentadas, a Requerente deseja regularizar judicialmente a situação em que se encontram, devendo ser decretado o divórcio do casal.

DA PENSÃO ALIMENTÍCIA

Desde já, a Requerente requer a dispensa do pagamento da pensão alimentícia para si e, para seus filhos, já que a mesma, por mais de 10 anos manteve sua família através de meios próprios de subsistência.

CURSO DE ATUALIZAÇÃO DO NOVO CPC

 

DA PARTILHA DE BENS

Durante o período em que o casal permaneceu junto não adquiriram bens, assim, não há bens a partilhar. Há que se levar em conta também que o regime adotado no casamento foi o de Comunhão Parcial de Bens.

DO NOME – CÔNJUGE VIRAGO

O Cônjuge Virago voltará a utilizar o nome de solteira, qual seja, _____.

DA GUARDA DOS FILHOS

Como a mais de dez anos os menores sempre permaneceram sob a guarda e responsabilidade da Virago, não há que se falar em mudança de guarda.

DOS PEDIDOS

Pelo fio do exposto, diante de tudo o que foi explanado nesta suada, é que se requer:

A citação de _____, CPF nº _____ (documentos anexos), POR EDITAL, por se encontrar em lugar incerto e não sabido;

A procedência da presente acima explicitada, com a consequente homologação do presente DIVÓRCIO, para que se ponha termo ao vínculo matrimonial que os une, ordenando-se a seguir, a expedição do competente mandado para a averbação do divórcio junto ao Cartório de Registro Civil Competente;

Requer a alteração do nome de casada da Virago, para que a mesma, volte a utilizar o nome de solteira, qual seja, _____, expedindo-se o respectivo mandado de averbação junto ao Cartório de Registro Civil Competente;

A mantença da guarda definitiva dos menores;

A ouvida do Agente Parquetiano;

A produção de todos os meios de prova em direito admitidas, em especial as testemunhais, caso haja necessidade;

Nestes termos, estando a peça com os documentos que a acompanham e, para que tudo se processe em forma legal, aguarda merecer deferimento.

Imprime-se à presente causa o valor de hum mil reais, para efeitos fiscais.

J. Esta documentos respectivos.

Que advenha toda a plenitude requestada!

Justiça é desejo firme e contínuo de dar a cada um o que lhe é devido.

_____ – _____, 20 de setembro de _____.

_____

OAB – Seção de _____

fonte: plenum

 

[Modelo] Recurso de Apelação no Novo CPC e pontos importantes

[Modelo] Recurso de Apelação no Novo CPC e pontos importantes

Inclui material extra sobre as principais novidades dos recursos no CPC/15.

 Publicado por Flávia Teixeira Ortega

Modelo Recurso de Apelao no Novo CPC e po

No que concerne aos recursos no Novo CPC, há diversas mudanças importantes e práticas. Vejamos a principais:

  1. Serão devidos honorários de sucumbência também na fase de RECURSOS, conforme dispõe o Novo CPC. De acordo com o art. 85, 11º, eles serão majorados na medida em que forem julgados recursos interpostos no processo.

  2. A contagem dos prazos será feita em DIAS ÚTEIS, sendo que ficará SUSPENSO POR UM MÊS, nos dias compreendidos entre 20 de dezembro e 20 de janeiro, inclusive. Ademais, os prazos para recursos foram unificados em 15 dias, salvo os embargos de declaração, cujo prazo será de 5 dias.

  3. No Novo CPCo recurso adesivo é admissível em apenas três espécies recursais: 1. Apelação;2. Recurso extraordinário;3. Recurso especial;

  4. Não há mais, no Novo CPC, duplo juízo de admissibilidade do recurso de apelação, como havia no 1ºdo artigo 542 do Código de Processo Civil de 1973, que conferia aos tribunais recorridos a competência para proceder à “admissão ou não do recurso”.

MODELO DA PEÇA DE INTERPOSIÇÃO DOUTO JUÍZO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE (CIDADE – ESTADO).

Protocolo nº…Requerente:Requerido:JOÃO DA SILVA (apelante), já qualificado nos autos da Ação Tal, processo em epígrafe, que move em face de (ou que lhe move) MARIA DA SILVA (apelado), também já qualificada nos autos, vem, por via de seu procurador que esta subscreve, não se conformando com a sentença proferida às fls. XX, interpor o presente RECURSO DE APELAÇÃOCom base nos arts. 1.009 a 1.014, ambos do CPC/15, requerendo, na oportunidade, que o recorrido seja intimado para, querendo, ofereça as contrarrazões e, ato contínuo, sejam os autos, com as razões anexas, remetidos ao Egrégio Tribunal de Justiça do Estado de Goiás para os fins de mister.

Termos em que,

Pede o deferimento.

Local e data.

AdvogadoOAB/PR…

MODELO DAS RAZÕES

RAZÕES RECURSAIS

Apelante: JOÃO DA SILVA

Apelada: MARIA DA SILVA

Origem: processo nº XXXXXX, 1ª Vara Cível (Comarca de Curitiba)

EGRÉGIO TRIBUNAL,

COLENDA CÃMARA.

Eméritos Desembargadores,

I – BREVE SÍNTESE DO PROCESSO

Trata-se de ação de cobrança em que o autor, ora apelante, requer que… Requer ainda…, tendo juntado provas documentais… E requerido prova testemunhal.

Em sede de contestação, o requerido, ora apelado, alegou…

Intimado, o autor apresentou réplica, às fls…, apontando… E reiterando os termos da exordial.

Sem êxito a tentativa de acordo, passou-se a instrução, onde foram ouvidas as testemunhas do autor e do réu, às fls…, e, findos os debates orais, o nobre magistrado prolatou a sentença, julgando totalmente improcedentes os pedidos formulados pelo requerente.

No entanto, como será demonstrado a seguir, a sentença não merece prosperar, devendo ser reformada (ou cassada).

II – RAZÕES DA REFORMA (OU DA CASSAÇÃO)

A r. Sentença proferida pelo juiz a quo na Ação de Cobrança proposta pela apelante em face do apelado, julgando o seu pedido improcedente, deve ser modificada in totum, uma vez que a importância reivindicada na inicial traduz-se em uma obrigação de única e inteira responsabilidade do comprador, conforme previsão contratual.

A afirmação acima evidenciada, nos termos dos documentos acostados aos autos, encontra respaldo no fato de que vigoram no direito brasileiro, como vigas mestras de sustentação das relações jurídicas, os princípios da liberdade de contratar e do efeito vinculante dos contratos, entendimento este corroborado pela jurisprudência pátria, in verbis:

“Em havendo estipulação contratual obrigando o comprador, não cabe declaração de indébito, uma vez que deve prevalecer o brocardo latino pacta sunt servanda”.

Ainda, no mesmo sentido, são lícitas, em geral, todas as condições que a lei não vedar expressamente, daí não havendo outro entendimento para o caso em questão, deve a sentença atacada ser REFORMADA (ou cassada, depende do que se alegar) nos termos do pedido contido na inicial.

III – REQUERIMENTO

Em virtude do exposto, o Apelante requer que o presente recurso de apelação seja CONHECIDO e, quando de seu julgamento, seja totalmente PROVIDO para reformar a sentença recorrida, no sentido de acolher o pedido inicial do Autor Apelante e…, por ser de inteira Justiça.

OU

(…) seja totalmente PROVIDO para anular a sentença recorrida, com o consequente retorno dos autos ao juízo a quo para…, por ser da mais lídima justiça.

Termos em que,

Pede deferimento.

Loca e data

Nome e assinatura do advogado

Número de inscrição na OAB

Para receber um material extra sobre pontos importantes sobre recursos no NCPC acesse AQUI!

Modelo Recurso de Apelao no Novo CPC e pontos importantes


Colega advogado (a), confira a 3a edição do Manual Prático do Novo CPC, revisto, atualizado e ampliado (120 petições cíveis, com comentários doutrinários e jurisprudenciais + bônus). Agilize seu trabalho!